julho 22, 2024
A Arte como didática: ela precisa ‘ensinar’ bons modos?
Canto do homem e dos pássaros
Soneto para Beethoven
Exposição de Artes Visuais
Monarquia constitucional
4° Concurso Literário da FLAUS 2024
Ensaio sobre o banho
Últimas Notícias
A Arte como didática: ela precisa ‘ensinar’ bons modos? Canto do homem e dos pássaros Soneto para Beethoven Exposição de Artes Visuais Monarquia constitucional 4° Concurso Literário da FLAUS 2024 Ensaio sobre o banho

Diamantino Lourenço Rodrigues de Bártolo: 'Inspiração entusiasta'

Print Friendly, PDF & Email
Diamantino Lourenço R. de Bártolo

Inspiração entusiasta

São já algumas dezenas de anos que venho, com muita emoção, desenvolvendo um empreendimento que classifico de “Cidadania Participativa”, no domínio das Ciências Sociais e Humanas: Filosofia, Ética, Axiologia, Direitos Humanos, Política, Religião, Sociologia, História, etc., que vem sendo divulgado pelos Órgãos de Comunicação Social digital, prosseguindo sempre no respeito pelos mais elementares princípios da boa educação, nos valores da solidariedade, amizade, lealdade, cumplicidade e gratidão, designadamente, para com todas as pessoas que, reciprocamente, assim procedem para comigo.

Sem falsa modéstia, afigura-se que o balanço do trabalho já realizado é, francamente, positivo, justamente, porque, tratando-se, embora, de um humilde contributo para a “Cidadania Participativa”, tem concorrido para que muitas pessoas, inseridas em processos de educação/formação, tenham acesso a ideias, eventualmente, diferentes das suas, perspetivas pessoais de olhar a vida, a sociedade e o mundo.

O balanço é positivo, também pelos comentários que são feitos diretamente ao autor: naturalmente que: uns, concordando; outros; discordando; outros, ainda, sugerindo diferentes alternativas. Com todos eles, muito se aprende, se enriquece e se desenvolve o pensamento, evitando-se, desta forma, o dogmatismo que estigmatiza quem o utiliza e defende, sem possibilidade de abertura aos outros.

A adaptabilidade e a flexibilidade, às novas formas de posicionamento na sociedade: aos princípios, aos valores, aos sentimentos e às condutas dos que connosco convivem, no dia-a-dia; às Instituições com as quais trabalhamos, e/ou das quais nos servimos, para a resolução dos nossos problemas, cada vez mais complexos, são, atualmente, qualidades e capacidades que se podem, e devem, desenvolver, justamente, através de muita leitura, da troca de opiniões, da aceitação democrática do pluralismo das ideias, enfim, do exercício das boas-práticas cívicas.

É incontestavelmente desaconselhável que pessoas, grupos, comunidades, e instituições se fechem em si próprias. Ninguém é, totalmente, autónomo: por muita riqueza material que possua; por imensos conhecimentos que tenha; pela eventual influência que consiga mover a quaisquer níveis, porque na verdade, o “mundo está cheio de esquinas”, e a vida repleta de “altos e baixos”.

Hoje: a PARTILHA é a palavra de ordem; os valores da Solidariedade, da Amizade, da Lealdade, da Reciprocidade, da Gratidão, da Confidencialidade e da Humildade, entre as pessoas que se querem bem; do Respeito, da Dignidade e da Espiritualidade, entre outros; os sentimentos da Benquerença, no tal contexto, por exemplo,  de um verdadeiro “Amor-de-Amigo”, do Carinho, da Estima, da Consideração, da Esperança e da Salvação; o posicionamento que resulta dos: Saber-ser, Saber-estar, Saber-fazer e do Saber-conviver-com-os-outros, são fundamentais, para que o Ser Humano tenha uma existência compatível com a sua superior dignidade, enquanto Ser, criado à imagem e semelhança do seu CRIADOR, para quem acredita num Ente Supremo e Absoluto, DEUS.

PARTILHAR, com justiça, com amor, com alegria, com esperança, não com a exigência, da reciprocidade, embora não a subestimando, pode conduzir-nos à Paz e à Felicidade. Neste sentido, pretendo conduzir este projeto, isto é, que a partir dele, possamos viver com Saúde, Amizade, Educação, Trabalho, Paz e Felicidade, sempre na Graça de DEUS, nunca esquecermos o lema: “Com a Vida se Aprende, com a Vida se Luta e com a Vida se Vence”.

Por tudo o que está explanado, é oportuno tecer, neste contexto, dois humildes agradecimentos: 1) A todas as pessoas que me seguem nos jornais digitais, nas redes sociais ou por outros meios, fazendo sugestões, felicitando-me e incentivando-me a prosseguir esta difícil, mas gratificante, caminhada;

2) Um justo comentário de gratidão muito especial, a todas as pessoas que, na qualidade de minhas ex-alunas/os e ex-formandas/os, continuam a consultar, periodicamente, os temas que vou divulgando,  nos diversos jornais, blogs e sites nacionais e internacionais para os quais escrevo, bem como as redes sociais mais utilizadas, para, entre outros assuntos, lerem os meus artigos, e, posteriormente, colocarem as suas dúvidas, suscitarem o debate aberto, democrático e muito produtivo para todos.

Venade/Caminha – Portugal, 2023

Diamantino Lourenço Rodrigues de Bártolo

Presidente do Núcleo Académico de Letras e Artes de Portugal

NALAP.ORG

 

 

 

 

Diamantino Bartolo
Últimos posts por Diamantino Bartolo (exibir todos)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
Pular para o conteúdo